É nóis

Opa! Parece que é a da prática do mundo por aí que o primeiro texto de um blog seja meio que explicando qualé a do blog e tal (e também acontece de ele acabar num lugar de fácil acesso, pra quando pipocar um novo leitor o camaradinha saber, justamente, QUALÉ). Nesse aspecto, não fugiremos da tradição.

Olha só, o Balbúrdia (nosso nome, que surgiu de um equívoco (aliás, mais que um nome, nossa filosofia de vida)) é um espaço pra falarmos sobre quadrinhos de BOAS mesmo, sem definições da ordem mundial ou carcando certezas (AKA cagação de regra). Nós gostamos de HQ e é sobre isso que vamos escrever aqui. Não sobre filmes de super-herói, não sobre estatuetas colecionáveis, não sobre marcas, brands, trends ou outra palavra-em-inglês-com-correspondência-em-português-mas-que-as-pessoas-usam-em-inglês-mesmo-sei-lá-por-que.

NÃO! Vamos falar sobre gibi.

Não temos nada contra isso de filme e de coleções e tal (talvez algum de nós até tenha, mas vai dizer que não tem pra fazer o ~polido simpaticão~ (sorrindo)), mas é FLAGRANTE que tem muitos blogs/sites/páginas do FB/etc que fazem isso. Achamos, então, que era melhor não.

Também não vamos ter notícias ou nada muito jornalístico (a exceção vai ser noticiar lançamentos. Então pode mandar seu release pra gente!). De novo, repetindo o acima (mas sempre é bom ser claro (sobretudo em textos de apresentação: o lance é seguir uma linha e ser claro, conciso e não tergiversar e coisa e tal) (seria isso uma regra? Seria)), mas já tem um batalhão de site que faz isso e queremos seguir por outro caminho. Nosso lance aqui é resenhas, comentários de notícias (aí, sim), entrevistas, e textos sobre quadrinhos, seja da linguagem, seja, sei lá, do incentivo à leitura usando HQs.

Os textos do Balbúrdia serão bastante pessoais e não raro vai ter mais de uma resenha do mesmo gibi ou mais de um ponto de vista sobre o mesmo tema que podem ou não estar de acordo. Pode rolar até de alguém reescrever uma opinião anterior (não se assuste se isso acontecer. Basta manter os cintos afivelados).

Nós que assinamos o texto (vê ali embaixo) começamos o EMPREENDIMENTO, mas é provável e desejável que mais espancadores de teclado se juntem às nossas fileiras. Mas a gente avisa, fica susse.

Então, seria isso. Agradecemos por tudo, nos desculpamos por qualquer coisa e, de boa, vai na maciota.

Liber Paz ficou muito mais legal depois que começou a assistir Doctor Who. Fora isso, ele até tenta fazer quadrinhos, estuda pra um doutorado e dá aulas pra um curso de design. Sim senhor, é uma boa vida.

Lielson Zeni comete roteiros de HQ e cinema, textos de ficção e fez um mestrado sobre HQ. Atualmente, é editor de HQ e tá se amarrando pra fazer um doutorado (sobre HQ, claro). Mas ele acha que é mais legal do que isso e continua estudando.

Paulo H. Cecconi: tradutor, blumenauense e comedor de biscoitos.