[Videoshow] Minhas traduções em 2019

O Érico Assis lembrou de postar os livros massa que ele traduziu e não vai poder votar nos melhores do ano. Como sou copiona, vai aqui a minha lista de traduções que VOCÊ poderá escolher como melhor do ano! TANKA, de Sergio Toppi. Editora Figura. A Figura vem se esmerado em trazer os maiores ilustradoresContinuar lendo “[Videoshow] Minhas traduções em 2019”

[Tradução] Manifesto da Graphic Novel (revisado), de Eddie Campbell

Tenho estudado teorias de quadrinho e durante a leitura do A Novela Gráfica, de Santiago García (Martins Fontes, 2012, tradução de Magda Lopes), logo no comecinho, é citado o “Eddie Campbell’s (Revised) Graphic Novel Manifesto”, do homem que desenhou entre trocentas coisas, Do Inferno, escrito por Alan Moore (Veneta, 2014, tradução de João Paulo Martins).Continuar lendo “[Tradução] Manifesto da Graphic Novel (revisado), de Eddie Campbell”

[Tradução] A censura, estúpida, sempre

Em 2005, a revista de arte contemporânea art press convidou o escritor e jornalista Bernard Joubert para dirigir uma edição especial sobre quadrinhos. Além de convocar pessoas importantes para a empreitada, entre quadrinistas, editores, pesquisadores da arte e dos quadrinhos (Évariste Blanchet, Jean-Christophe Menu, Marie José Mondzain, Thierry Smolderen…), Joubert também assina um artigo sobre suaContinuar lendo “[Tradução] A censura, estúpida, sempre”

[Bartheman] Harry Morgan e as idiotices repetidas sobre quadrinhos

Há alguns anos, encontrei, na revista Éprouvette, um intenso experimento de crítica de quadrinhos da L’Association, um desenho que me lembrava os antigos, sobretudo os dois gatos como personagens.