[Bartheman] Da solidariedade icônica

julie doucet wordy

Julie Doucet, autora canadense da geração de Seth, Chester Brown, Adrian Tomine, tem um trabalho interessantíssimo. Não é só sobre ela que vou escrever aqui, mas gostaria de partir dessa página acima para divagar um pouco sobre quadrinhos.

Continue lendo “[Bartheman] Da solidariedade icônica”

[Bartheman] Corpos inviáveis

photo5030747528437540797.jpg
Jeanine, de Matthias Picard © L’Association, 2011

Jeanine está sendo entrevistada por um rapazote, o Matthias Picard. A um determinado momento, ela percebe rabiscos no caderno dele, a quem ela confiava a sua história:

– Você está desenhando quem?
– Seu pai.
– Mas… você não sabe como ele se parece.
– Não, eu imagino.
– Ele era italiano, o meu pai… Continue lendo “[Bartheman] Corpos inviáveis”

[Bartheman] Harry Morgan e as idiotices repetidas sobre quadrinhos

clarion75
© Harry Morgan, in: theadamantine.free.fr

Há alguns anos, encontrei, na revista Éprouvette, um intenso experimento de crítica de quadrinhos da L’Association, um desenho que me lembrava os antigos, sobretudo os dois gatos como personagens. Continue lendo “[Bartheman] Harry Morgan e as idiotices repetidas sobre quadrinhos”

[Bartheman] Minha lista grampo: obrigada por esperar

photo_2017-03-22_20-29-48

“Não fazer nada, olhar a grama crescer. Deixar-se levar pelo curso do tempo: fazer um café, tomar um copo d’água…
Fazer de sua vida um domingo.”
(R.B.)

A verdade, na verdade, é que este texto deveria ter ficado pronto em janeiro. Poderia dizer que o ano só começa na terceira semana útil depois do carnaval, mas a verdade é que “peccavi nimis cogitatione verbo, et otium: mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa. Mas, finalmente, depois de tanto adiamento, vão aqui alguns pensamentos embaralhados, um tanto fragmentados, sobre a minha lista preparada para o Prêmio Grampo 2017. Continue lendo “[Bartheman] Minha lista grampo: obrigada por esperar”