[A Consciência de Zeni] Maus

Com a ocupação militar no Rio de Janeiro, o 485, linha do ônibus que pego para sair da Ilha do Fundão (onde fica o curso de Letras [onde faço meu doutorado {o que explica, um pouco, meu sumiço deste blog}]), passa por uma barreira do exército. Não sei bem qual a finalidade dessa ação, mas … Continue lendo [A Consciência de Zeni] Maus

[A Consciência de Zeni] Confesso que grampei

Com o Grampo, esse premiozinho que tanto me envaidece de ter criado junto do Ramon Vitral, vêm o momento de escrever sobre o porquê de cada lista. Ou eu gostaria de ver cada um dos nossos amados juradinhos falando de suas escolhas. Na real, é a fissura da lista que eu tenho. Que a lista … Continue lendo [A Consciência de Zeni] Confesso que grampei

[A Consciência de Zeni] Quadrinhos Abstratos? – Parte 5

Eis que 2017 vai registrar uma coluna aqui sobre Quadrinhos Abstratos! A investigação segue, desta vez analisando um artigo do poeta, teórico e professor belga Jan Baetens chamado "Abstraction in Comics". O que você viu por aqui antes (ou não viu, se é a primeira vez que chega — nesse caso, bem vindo e puxe … Continue lendo [A Consciência de Zeni] Quadrinhos Abstratos? – Parte 5

[A consciência de Zeni] Ceci n’est pas une BD

Ceci n'est pas une BD Clique nas imagens pra ver mais. Caroline Baldwin, de Taymans & wesel Le dormers, Sophie Calle (1979)  

[A consciência de Zeni] Passeio pelos canais de Mauritsstad

Aprendi depois de velho que aquilo que desconfiava era verdade: realmente estavam me falando menos do que aconteceu nas aulas de história. Não sei como isso anda hoje, mas lá no final dos anos 1980/começo dos 1990, quando eu fazia Ensino Fundamental (na real, eu fazia 1º Grau), o ensino de história tinha mais saltos … Continue lendo [A consciência de Zeni] Passeio pelos canais de Mauritsstad