[Vem comigo] Nori e eu

Nori e eu é um quadrinho autobiográfico feito a quatro mãos: mãe e filho, Sonia Ninomiya e Masanori Ninomiya, e conta ainda com a direção de arte de Caeto (WMF Martins Fontes, 2019)*.

[Vem comigo] Discurso sobre o colonialismo

Discurso sobre o colonialismo, de Aimé Césaire (Veneta, 2020)*, é um texto importante, traduzido por Claudio Willer e ilustrado por Marcelo d’Salete.

[Vem Comigo] Beco do Rosário

Beco do Rosário, de Ana Luiza Koehler (Veneta, 2020)* descreve as transformações urbanas que Porto Alegre sofreu no começo do século XX, e conta como tais transformações implicaram em divisões sociais importantes. O quadrinho, publicado em edição menor de forma independente em 2015, teve apoio do edital Itaú Rumos para essa nova versão.

[Vem comigo] Urinoir

Um dos meus últimos textos foi sobre quadrinhos dos anos 2000 e agora vos trago esse quadrinho de um autor nascido em 2000. Gerado no Bug do Milênio, Xavier Ramos publica zines desde os 15 anos cm sua irmã, Frida, já comentados aqui pelo Paulo Cecconi.

[Vem comigo] 1h25

Esses dias conversei com umas amigas sobre autobiografias (talvez a conversa vaze em áudio por aí, quem sabe), e acabei esquecendo de falar desse marco em um período em que se publicava muitas autobiografias – e autobiografias femininas – no circuito franco-belga.