[Vem Comigo] Shirô

Em 2010, Danylo Beyruth publicou, pela editora Zarabatana, o álbum Bando de Dois. Era a história dos dois únicos cangaceiros que sobreviveram ao extermínio de seu bando, promovido pelas forças policiais, e que se lançavam em uma missão suicida para recuperar as cabeças de seus colegas da guarda das autoridades. Contando uma história de cangaceiros … Continue lendo [Vem Comigo] Shirô

[Vem comigo] Me leve quando sair

Quando o mundo inteiro parece doido e sem saída, a gente pode se desesperar ou esbravejar ou atacar ou quem sabe procurar refúgio em algo de sutil que a gente inventa pra viver um pouco melhor. A Jéssica Groke vai por essa última opção com sua estreia em Me Leve Quando Sair. A capa colorida … Continue lendo [Vem comigo] Me leve quando sair

[Vem Comigo] FIQ 2018: Hibernáculo, de Amanda Paschoal Miranda

Amanda Paschoal Miranda falou na entrevista pro camarada Ramon Vitral que a ideia pro quadrinho surgiu depois que ela viu semelhanças entre penteadeiras e pianos (acesse a entrevista AQUI). Hibernáculo é a história de uma cantora e pianista e de como se coloca quadrinhos e música em compasso. Acompanhando o trabalho da Amanda Paschoal, você … Continue lendo [Vem Comigo] FIQ 2018: Hibernáculo, de Amanda Paschoal Miranda

[Vem Comigo] FIQ 2018: Zines do Crumbim

Paulo Crumbim, mais conhecido por seu trabalho com a Cris Eiko, Quadrinhos A2 e Graphic MSP Penadinho: Vida, já tinha experimentado solo anteriormente em Gnut. Mas na Des.Grafica de 2017, ele apareceu com um zine, impresso em casa, cheio de conceitos e boas ideias. De lá pra cá, já foram 5 deles. A ideia do … Continue lendo [Vem Comigo] FIQ 2018: Zines do Crumbim

[Vem Comigo] FIQ 2018: Juras, de Julia Balthazar

Teria sido muito melhor se a gente tivesse falado das obras que iam sair no FIQ antes de o evento acontecer (acabou ontem). Mas já que não teve jeito, vai pintar aqui algumas INDICAÇÕES PALPITADAS de alguns dos livros/zines que a gente pegou lá em BH. Aliás, que delícia que o evento aconteceu e que … Continue lendo [Vem Comigo] FIQ 2018: Juras, de Julia Balthazar