[Loas] Allan Sieber fala sobre Mort Walker

No dia 27 de janeiro deste ano morreu Mort Walker, quadrinista que ficou famoso pelo seu personagem cômico Recruta Zero. Eu mesmo não me esqueço de uma história do Almanaque do Recruta Zero 1 (Globo, 1989), em que os editores precisam substituir o desenhista (que foi sequestrado por um fã que exigia histórias exclusivas) e contratam Frank Milho pra fazer versões de Ronin e Cavaleiro das Trevas com a galera do Quartel Swamp, além de Mauricio da Silva, quadrinista infantil (mais informações dessa doideira nessa matéria de Marcelo Naranjo no UHQ).

Allan Sieber sempre confessou ser um grande fã de Mort Walker. Nós pedimos e ele mandou a seguinte mensagem sobre o autor por e-mail:

Eu gostava muito da elegância do traço dele. Copiava muito quando era moleque. Em 2010, Angoulême fez um projeto chamado Cent pour cent, chamando 100 autores do mundo inteiro para fazerem releituras de autores que estavam no museu deles e escolhi Mort Walker. Retomei a leitura dos gibis e novamente fiquei maravilhado com o poder de síntese de Mort Walker.

A imagem abaixo é a homenagem de Sieber a Walker (se você não lê francês, no blog do Allan tem a tradução).

Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs: O resultado final

O quadrinista Marcelo D’Salete é o vencedor do Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs. O álbum Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta) consta em 18 das 20 listas de eleitores convidados do Grampo, tendo acumulado 158 pontos na contagem dos votos. O gibi vencedor ficou à frente de Aqui (Cia das Letras), de Richard McGuire (106 pontos e presente em 13 listas) e Mensur (Cia das Letras), de Rafael Coutinho (83 pontos e presença em 11 listas).

O Top 10 do Grampo 2018 fecha com Paciência (Nemo), de Daniel Clowes (75 pontos); Sem Dó (todavia), de Luli Penna (59 pontos); Estudante de Medicina (Veneta), de Cynthia B. (37 pontos); O Homem que Passeia (Devir), de Jiro Taniguchi (32 pontos); Alho Poró (La Gougotte), de Bianca Pinheiro (28 pontos); Úlcera Vórtex (Escória Comix), de Victor Bello (24 pontos); e, empatados em 10º, com 23 pontos, Akira – Volume 1 (JBC), de Katsuhiro Otomo; Black Hole (DarkSide Books), de Charles Burns; e Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço.

Continue lendo “Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs: O resultado final”

Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs: As 20 listas dos convidados

Convidamos 20 pessoas ligadas à cena brasileira de quadrinhos para votar no Prêmio Grampo 2018. A regra era simples: cada um deveria enviar sua lista com os 10 quadrinhos preferidos publicados no Brasil entre os dias 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2017 – incluindo republicações (títulos que já tenham sido lançadas no Brasil anteriormente, mas que apareceram em novo formato editorial). A regra de ouro era que os jurados não votassem em suas próprias obras ou naquelas em que trabalharam (edição, tradução, revisão, diagramação, paratextos etc). O primeiro colocado de cada lista recebeu 10 pontos, o segundo nove, o terceiro oito e assim por diante até o 10º com 1 ponto. Foram 78 obras listadas. Os títulos mais citados e mais bem colocados no ranking geral foram divulgados aqui. A seguir, as listas individuais:

Continue lendo “Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs: As 20 listas dos convidados”

Prêmio Grampo das Grandes HQs: Os 20 jurados

Prêmio Grampo surgiu em 2016 inspirado na saudosa votação de melhores do ano do blog Gibizada, do jornalista Télio Navega, no jornal O Globo. Assim como ele fazia, dois editores do Balbúrdia, Lielson Zeni (eu) e Maria Clara Carneiro, + Ramon Vitral (do Vitralizado) convidamos várias pessoas envolvidas de diferentes formas na cena brasileira de quadrinhos a produzirem listas com o que elas consideram os 10 melhores títulos publicados no país no ano anterior. A ideia é que esse júri passe por mudanças pontuais a cada ano. De 2017 para o de 2018, foram convidados seis jurados que participam pela primeira vez da votação. Também se pede que nenhum jurado vote em livros no qual trabalhou/esteve envolvido.

Assim como em 2016 e 2017, para a edição de 2018 chamamos 20 pessoas entre quadrinistas, editores, pesquisadores, jornalistas e lojistas. A lista final com os 10 títulos mais votados e vencedores dos Grampos de Ouro, Prata e Bronze serão revelados no sábado (3/2), a partir das 15h, no Dia do Quadrinho Nacional na Ugra. No domingo (4/2) você encontra no Balbúrdia e logo ali no Vitralizado os rankings individuais de cada um dos jurados e a lista completa com todos os títulos votados. Por enquanto, apresentamos os nossos 20 jurados de 2018:

Carlos Neto [jornalista e apresentador do Papo Zine];
Carol Ito [jornalista, quadrinista, pesquisadora de quadrinhos e coordenadora da página Políticas];
Cecilia Arbolave [sócia e editora da Lote 42];
Daniel Lopes [editor de quadrinhos e apresentador do Pipoca e Nanquim];
Daniela Cantuária P. Utescher [sócia e editora da Ugra Press];
Dandara Palankof [jornalista, pesquisadora, editora da Plaf, balbúrder e tradutora de HQs];
Érico Assis [jornalista, tradutor e pesquisador de quadrinhos, editor do A Pilha];
Larissa Martina [proprietária da RV Cultura e Arte];
Liber Paz [quadrinista, pesquisador, professor universitário e balbúrder];
Lielson Zeni [editor, pesquisador, roteirista de quadrinhos e balbúrder];
Luciana Foraciepe [editora da Maria Nanquim];
Maria Clara Carneiro [tradutora, pesquisadora de HQs, professora universitária e balbúrder];
Milena Azevedo [roterista de quadrinhos, resenhista do Universo HQ e integrante do selo Pagu Comics, da Editora Cândido];
Mitie Taketani [proprietária de Itiban Comic Shop];
Paulo Cecconi [tradutor de quadrinhos e balbúrder];
Paulo Floro [jornalista e pesquisador de quadrinhos, um dos editores da Revista O Grito! e da revista Plaf];
Ramon Vitral [jornalista e editor do Vitralizado];
Raquel Moritz [editora, publicitária e apresentadora do Pipoca Musical];
Sérgio Chaves [produtor editorial e roteirista de quadrinhos, editor da Café Espacial];
Thiago Borges [jornalista, editor do O Quadro e o Risco].

Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs

Sabe o Grampo, aquele prêmio que Balbúrdia e Vitralizado tocam em parceria? Pois então: já sabemos os mais votados. E no sábado, dia 3 de fevereiro (amanhã, para os íntimos) na Ugra em São Paulo, vamos fazer o anúncio dos primeiros colocados. O lance começa 15h, com presença de Ramon Vitral, Carolina Ito, Carlos Neto e Thiago Borges (todos membros do júri dessa edição). Também vai rolar uma retrospectiva da cena brasileira de 2017 nos quadrinhos.

No domingo, você lê no Vitralizado e por aqui as listas completas dos 20 jurados, bem como o ranqueamento final. Já tem seu palpite de quem apareceu nas listas deste ano?

Na edição passada do Prêmio Grampo, anunciada em janeiro de 2017, o Grampo de Ouro ficou com Bulldogma (Veneta), de Wagner Willian; Você é Um Babaca, Bernardo (Mino), de Alexandre S. Lourenço, levou o Grampo de Prata; e Desconstruindo Una (Nemo), da quadrinista britânica Una ganhou o Grampo de BronzeEm 2016, Ouro, Prata e Bronze ficaram, respectivamente, com Aventuras na Ilha do Tesouro (Mino), de Pedro Cobiaco); Talco de Vidro (Veneta), de Marcello Quintanilha; e Dupin (Zarabatana), de L.M. Melite.

O Grampo é um esforço conjunto Vitralizado/Balbúrdia para registrar um período ímpar na história dos quadrinhos publicados no Brasil a partir da avaliação de alguns de seus personagens. A dinâmica da votação continua a mesma dos últimos dois anos: cada um dos jurados enviou um ranking com seus 10 trabalhos preferidos. O primeiro colocado de cada ranking recebeu 10 pontos, o segundo nove, o terceiro oito e assim por diante até o 10º com 1 ponto. Depois de amanhã, 5ª (1/2), apareça por aqui e no Balbúrdia pois revelaremos os nomes dos membros do júri do Grampo 2018. Enquanto isso, deixo a pergunta: qual você considera o melhor quadrinho publicado no Brasil em 2018?

PS: a arte do logo do prêmio é do Jairo. Valeu demais, camarada!