[Prêmio Grampo] Prêmio Grampo 2020 de Grandes HQs – O resultado final: as 20 HQs mais votadas

O álbum Minha Coisa Favorita é Monstro é o vencedor do Prêmio Grampo 2020 de Grandes HQs. A obra da quadrinista norte-americana Emil Ferris publicada no Brasil pela editora Companhia das Letras e com tradução de Érico Assis consta em 14 das 21 listas dos jurados convidados do Grampo, tendo acumulado 118 pontos na contagem dos votos. O gibi vencedor ficou à frente de Luzes de Niterói (Veneta), de Marcello Quintanilha (68 pontos e nove listas) e Intrusos (Nemo), de Adrian Tomine (57 pontos e nove listas).
O top 10 do Grampo 2020 fecha com Aurora nas Sombras (DarkSide Books), de Fabien Vehlmann e Kerascoët (51 pontos); Silvestre (DarkSide Books), de Wagner Willian (48 pontos); Tabu (Mino), Amanda Miranda, Jéssica Groke e Lalo; Viagem em Volta de uma Ervilha (Veneta), de Sofia Nestrovski e Deborah Salles (46 pontos); O Alpinista (Escória Comix), de Victor Bello (41 pontos); Sheiloca (independente), de Lovelove6 (36 pontos); e O Obscuro Fichário dos Artistas Mundanos, de Clarice Hoffmann, Abel Alencar, Maurício Castro, Greg, Paulo do Amparo e Clara Moreira (33 pontos).
Com nove títulos mencionados entre as 81 obras listas nos rankings dos 21 jurados, estando dois deles entre os 10 primeiros colocados (Luzes de Niterói e Viagem em Volta de uma Ervilha), a editora Veneta acumulou 178 pontos, a maior pontuação no somatório geral de títulos por editoras. Responsável pelo lançamento do quadrinho na primeira colocação, Minha Coisa Favorita é Monstro, a Companhia das Letras somou 143 pontos. Com três obras listadas, a DarkSide Books ficou com 103 pontos. As quatro obras mencionadas da editora Nemo, incluindo a terceira colocada, Intrusos, somaram 86 pontos. O quinto lugar no ranking de editoria ficou a Mino, com 79 pontos.
Os rankings individuais de cada um dos jurados estão disponíveis aqui. Os 20 quadrinhos mais bem colocados na soma dos rankings e as demais obras listas constam a seguir.

Continuar lendo “[Prêmio Grampo] Prêmio Grampo 2020 de Grandes HQs – O resultado final: as 20 HQs mais votadas”

[Prêmio Grampo] Grampo 2020 de Grandes HQs – Os 21 rankings dos eleitores convidados

Foram 21 eleitores convidados para votar no Prêmio Grampo 2020. A regra era simples: cada um deveria enviar um ranking com seus 10 quadrinhos preferidos publicados no Brasil entre os dias 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2019 – incluindo republicações (títulos que já tenham sido lançados no Brasil anteriormente, mas que retornaram em novo formato editorial).

A regra de ouro era que os jurados não votassem em suas próprias obras ou naquelas em que trabalharam (edição, tradução, revisão, diagramação, paratextos, etc). O primeiro colocado de cada ranking recebeu 10 pontos, o segundo nove, o terceiro oito e assim por diante até o 10º, com 1 ponto. Foram 81 obras listadas. Os títulos mais citados e mais bem colocados no ranking geral foram divulgados aqui. A seguir, as listas individuais:

Continuar lendo “[Prêmio Grampo] Grampo 2020 de Grandes HQs – Os 21 rankings dos eleitores convidados”

Prêmio Grampo 2020 de Grandes HQs – Os nomes dos 21 jurados da premiação

O Prêmio Grampo 2020 de Grandes HQs já tem seus vencedores. Os três primeiros colocados, assim como todas as obras listadas e os rankings dos 21 jurados serão anunciados no dia 13 de abril (segunda-feira), a partir das 12h, nos blog Vitralizado e Balbúrdia. No post de hoje, revelamos os nomes dos jurados convidados a participar do Grampo 2020.

O Prêmio Grampo surgiu em 2016 inspirado na saudosa votação de melhores do ano do blog Gibizada, do jornalista Télio Navega, no jornal O Globo. Assim como ele fazia, eu e os editores do Balbúrdia, Lielson Zeni e Maria Clara Carneiro, convidamos várias pessoas envolvidas de diferentes formas na cena brasileira de quadrinhos a produzirem rankings com aqueles que elas consideram os 10 melhores títulos publicados no país no ano anterior. A ideia é que esse júri passe por mudanças pontuais a cada ano. Em 2020 há dois jurados que participam pela primeira vez da votação: o quadrinista Daniel Lopes e a jornalista Mariana Viana. 

Para a quinta edição do Prêmio Grampo chamamos um jurado a mais do que nos anos prévios, completando 21 votantes entre quadrinistas, editores, pesquisadores, jornalistas e lojistas. Então anote aí: no dia 13 de abril (segunda-feira), a partir das 12h, você encontrará aqui e no Balbúrdia os rankings individuais de cada um dos jurados e a lista completa com todos os títulos votados. Enquanto isso, apresentamos os 21 jurados de 2020:

Aline Zouvi [quadrinista, cartunista e pesquisadora];
Carlos Neto [jornalista e youtuber do Papo Zine];
Carol Ito [quadrinista, jornalista, pesquisadora e editora do Políticas];
Cecilia Arbolave [editora, jornalista, tradutora, curadora da Miolo(s), entre outros eventos e sócia da Lote 42, Banca Tatuí e Sala Tatuí];
Dandara Palankof [tradutora, jornalista, pesquisadora e editora da Revista Plaf];
Daniel Lopes [quadrinista e co-organizador da Feira Dente];
Daniela Cantuária Utescher [livreira, editora, curadora do Ugra Fest, entre outros eventos e sócia da Ugra Press];
Douglas Utescher [livreiro, editor, curador do Ugra Fest, entre outros eventos e sócio da Ugra Press];
Érico Assis [tradutor, pesquisador, jornalista e crítico];
Gabriela Borges [jornalista, mestre em antropologia e criadora do selo Mina de HQ];
Jéssica Groke [quadrinista];
Liber Paz [professor da UTFPR, quadrinista, youtuber, crítico, pesquisador e membro do Balbúrdia e do Kitinete HQ];
Lielson Zeni [editor, pesquisador, crítico e roteirista, membro do Balbúrdia];
Luli Penna [quadrinista e ilustradora];
Maria Clara Carneiro [professora da UFSM, tradutora, pesquisadora, crítica e membro do Balbúrdia];
Mariana Viana [jornalista e editora do perfil Fora do Plástico];
Milena Azevedo [roteirista, crítica e curadora de eventos];
Paulo Floro [jornalista e editor das revistas O Grito e Plaf];
PJ Brandão [pesquisador e produtor do HQ Sem Roteiro Podcast];
Ramon Vitral [jornalista, crítico e editor do Vitralizado];
Thiago Borges [jornalista, editor do blog O Quadro e o Risco e da revista Banda].

Prêmio Grampo 2020 de Grandes HQs – Dia 13/04, às 12h, Vitralizado + Balbúrdia

Logo Prêmio Grampo 2020 por Jairo Rodrigues

O Prêmio Grampo 2020 de Grandes HQs já tem data, hora e local para acontecer. Os vencedores da quinta edição do principal prêmio da crítica especializada de quadrinhos do Brasil serão anunciados no dia 13 de abril, segunda-feira, às 12h, em posts compartilhados no site do Prêmio Grampo e nos blogs Vitralizado e Balbúrdia. Além das obras vencedoras do Grampos de Ouro, Prata e Bronze, no dia 13 também serão apresentados rankings individuais dos jurados convidados para a edição de 2020 do prêmio.

Na imagem acima você confere a nova identidade visual do Prêmio Grampo, criada pelo designer Jairo Rodrigues.

O Prêmio Grampo surgiu em 2016 inspirado na saudosa votação de melhores do ano do blog Gibizada, do jornalista Télio Navega, no jornal O Globo. Assim como ele fazia, eu e os editores do Balbúrdia, Lielson Zeni e Maria Clara Carneiro, convidamos várias pessoas envolvidas de diferentes formas na cena brasileira de quadrinhos a produzirem rankings com aqueles que elas consideram os 10 melhores títulos publicados no país no ano anterior

Antes do dia 13, marcamos para 6 de abril, próxima segunda-feira, também às 12h, a revelação dos nomes dos 21 jurados da edição de 2020, em posts simultâneos no Vitralizado e no Balbúrdia.

O plano inicial para o Grampo 2020 era a realização de uma cerimônia na loja Ugra, em São Paulo, como aconteceu nas duas edições mais recentes do prêmio. No entanto, por conta da pandemia do coronavírus, optamos por realizar essa quinta edição apenas na internet, como foi nas edições de 2016 e 2017. Ficamos na expectativa de retomar o evento físico a partir de 2021.

Então é isso, dia 6 de abril anunciamos os jurados e dia 13 o resultado final e os rankings individuais. Enquanto isso, queremos saber: quais são as suas apostas para o Grampo 2020?

Lielson Zeni, Maria Clara Carneiro e Ramon Vitral

[Vem comigo] Claire Bretécher

Resultado de imagem para claire bretecher
“Esqueci minha pílula, aí esqueci que tinha esquecido, aí esqueci da senhora, mas agora me lembrei, então me dá a pílula do dia seguinte ou eu te passo”

Há muito tempo gostaria de escrever sobre a Claire Bretécher. Pena conseguir apenas hoje, dia da morte da autora, aos 79 anos. Bretécher, uma grande socióloga, segundo Roland Barthes, descrevia a hipocrisia burguesa e seu tédio. Começou a fazer quadrinhos nos anos 1960, tendo participado da Pilote de René Goscinny, e fundado a Écho des Savanes com outros autores da primeira revista, jovens cansados do editor em cima do muro.

Além de ter escrito a vida de Santa Teresa D’Ávila em quadrinhos (na verdade uma série cômica sobre a santa), suas séries mais famosas foram Les Frustrés, em que apareciam em geral famílias e amigos discutindo falsas amenidades, e Agrippine, uma adolescente… adolescente, “sem papas na língua”.

As poses de Agrippine

Aquele humor ácido e cheio de tédio: ela respondia secamente em entrevistas, que detestava. Não fazia a mínima questão de agradar. E seus personagens eram um tanto assim.

Lá pelo minuto 4, ela dá patadas no jornalista, que revida. A Catherine Meurisse (que sobreviveu por um atraso ao Charlie Hebdo) comenta que essa maneira de não agradar deveria ser um modelo, ainda hoje. O vídeo percorre a exposição de Bretécher na Biblioteca Pública de Informação do museu de arte contemporânea Georges Pompidou, em 2015.

Lembro de algumas páginas de um tribunal que julgava toda uma família. As maiores atrocidades e perversidades cometidas, mas tudo hipocritamente bem justificado pelas relações estabelecidas.

No Brasil, aparentemente só teve essa edição da heróica Marca de Fantasia (obrigada, Dandara, pela lembrança!). Hora de uma edição antológica?

“não é uma dificuldade pesada ser homem nas histórias em quadrinhos?”

(Achei, no entanto, um livro sobre ela em português!)

%d blogueiros gostam disto: