[Vem comigo] A Ilha de São Galalau

Sempre fico orgulhosa com o André Valente, um grande amigo que fiz pela via do amor à técnica, à prática, ao jogo. Ele leva a sério os jogos Oulipo-oubapianos (aliás, maior colaborador do 1, 2, 3… já!, e foi ele quem desenhou meu BARTHEMAN, o Roland Barthes que usa capa, que dá nome à minha coluna mais ensaística). E ele vai elaborando seus próprios métodos para produzir boas histórias, recorrendo a referências múltiplas para produzi-las. Continue lendo “[Vem comigo] A Ilha de São Galalau”

[Parlatório] Kate Evans

ROSA VERMELHA.jpg

Kate Evans é cartunista britânica, autora de zines e livros que expressam e acompanham o seu ativismo político bem à esquerda. Aliás, ela se define sempre como cartunista, artista, ativista, autora e mãe, tendo escrito sobre maternidade (Bump the book: how to make, grow and birth a baby, 2014), aleitamento materno (The Food of Love, 2008), seu último livro tratou da mais recente crise de imigração (Threads from refugee crisis, 2017), e ativismo canhoto – do jeito que a gente gosta.

UPDATE: O Primo It nos avisa, em primeira mão, que o Threads from refugee crisis deve sair pela DarkSide Books® em 2018.
Continue lendo “[Parlatório] Kate Evans”

[Parlatório] Dominique Goblet

 

“retrato de um pai ideal”

A des.gráfica desse ano vem com dois convidados das gringas interessantíssimos, e a gente tem muita honra de ter sido convidado para não apenas mediar essas conversas, assim como poder entrevistar, em primeira mão, esses caros ilustres.

Um deles é o requintado crítico de quadrinhos português Pedro Moura. O outro convidado é a Dominique Goblet, artista plástica belga, ilustradora e quadrinista, das mais importantes autoras que mexeram com o gênero autobiográfico. Emprestei Faire semblant c’est mentir há anos a alguém que amaldiçoo até a próxima geração (mentira, sou bruxa pelo bem. Mas me devolva, por favor). Continue lendo “[Parlatório] Dominique Goblet”

[Vem comigo] Thomas Ott

Um homem encontra um número da sorte. A sorte lhe sorri, mas depois vem lhe cobrar com força. A história lúgubre é ambientada com desenho todo preto, de traço feito talho em madeira, como risquinhos desenhando na noite. 73304-23-4153-6-96-8quadrinho de Thomas Ott, é um suspense macabro, como boa parte dos livros do autor suíço. Continue lendo “[Vem comigo] Thomas Ott”

[Parlatório] Patrice Killoffer

Entre 2010 e 2011, Maria Clara Carneiro, então produtora editorial da editora Barba Negra, foi a tradutora de Patrice Killoffer em sua passagem pelo Brasil. Ela também aproveitou pra fazer esta entrevista para o hoje extinto site da Barba Negra. Recuperamos a bichinha (além de um texto sobre a greve na editora L’Association). Continue lendo “[Parlatório] Patrice Killoffer”