[Vem Comigo] Castanha do Pará

Até os balõezinhos do Corel fazem figuração no delírio do menino-urubu

Desde os tempos imemoriais, o fabuloso nos ajuda a contornar a crueza do mundo. Castanha do Pará é uma colcha de fatos tristes, a história de um menino triste, costurada com as cores fabulosas de Belém do Pará, uma grande cidade em meio à floresta mágica da Amazônia. Continue lendo “[Vem Comigo] Castanha do Pará”

[Vem Comigo] Quadrinhos dos anos 10

André Dahmer já havia sido indicado ao Prêmio Jabuti de Ilustração em 2015, por Vida e obra de Terêncio Horto, da Cia das Letras. É até engraçado, e essa indicação é um grande exemplo da necessidade de uma categoria própria de quadrinhos: o livro inteiro composto de praticamente apenas três desenhos concorrendo entre ilustrações rebuscadas de livros variados? Continue lendo “[Vem Comigo] Quadrinhos dos anos 10”

[Bartheman] Defesa ilustrada da crítica das histórias em quadrinhos

balbs t shirt gerlach.gif
Ilustração do © Diego Gerlach (2017) para o empreendimento Camisas Balbúrdia

Nesse mês que termina, participamos de eventos e conversas, e lemos outras tantas discussões dos mais diversos níveis sobre a crítica. Escrevi sobre isso há bastante tempo, para a Antílope 1, mas uma das coisas mais comuns quando a gente escreve sobre a crítica, é que a massa crítica é bem reduzida, as bolhas são limitadas, e a gente acaba só “pregando para convertidos”. Fica chato me repetir e, ainda por cima, acho deselegante entrar nesse assunto, nessas conversas com meu distintivo de Crítica. Mas então, como aqui é um espaço seguro, e só a Maíra e o namorado dela vão ler mesmo, vou só apresentar algumas coisas que vêm roendo minha cachola, fazendo, em primeiro lugar, um apanhadinho histórico, depois mais específico sobre as histórias em quadrinhos, e em seguida uma breve avaliação dessa guerra polissêmica sobre escrever sobre histórias em quadrinhos. Continue lendo “[Bartheman] Defesa ilustrada da crítica das histórias em quadrinhos”

[Vem comigo] A Ilha de São Galalau

Sempre fico orgulhosa com o André Valente, um grande amigo que fiz pela via do amor à técnica, à prática, ao jogo. Ele leva a sério os jogos Oulipo-oubapianos (aliás, maior colaborador do 1, 2, 3… já!, e foi ele quem desenhou meu BARTHEMAN, o Roland Barthes que usa capa, que dá nome à minha coluna mais ensaística). E ele vai elaborando seus próprios métodos para produzir boas histórias, recorrendo a referências múltiplas para produzi-las. Continue lendo “[Vem comigo] A Ilha de São Galalau”

[Parlatório] Kate Evans

ROSA VERMELHA.jpg

Kate Evans é cartunista britânica, autora de zines e livros que expressam e acompanham o seu ativismo político bem à esquerda. Aliás, ela se define sempre como cartunista, artista, ativista, autora e mãe, tendo escrito sobre maternidade (Bump the book: how to make, grow and birth a baby, 2014), aleitamento materno (The Food of Love, 2008), seu último livro tratou da mais recente crise de imigração (Threads from refugee crisis, 2017), e ativismo canhoto – do jeito que a gente gosta.

UPDATE: O Primo It nos avisa, em primeira mão, que o Threads from refugee crisis deve sair pela DarkSide Books® em 2018.
Continue lendo “[Parlatório] Kate Evans”