Tags

, , , , ,

Depois de umas dicas de livros, aqui vão alguns documentários supimpas sobre gibis e autores:

1 – Comic Book Confidential

Um bizu sobre a história dos quadrinhos americanos, com destaque para as audiências governamentais nos anos 50 em relação a delinquência juvenil e comentários de artistas do meio sobre seus próprios trabalhos.

 

2 – In Search of Steve Ditko

Documentário lindo conduzido pelo Jonathan Ross, talk show host britânico e fã de gibis, sobre o impacto do monstruoso Steve Ditko na indústria.

 

3 – Crumb e The Confessions of Robert Crumb

O Crumb tem dois docs, então resolvi colocá-los juntos. Crumb é um filme bastante intimista, que mostra, inclusive, a famíla do autor. Confessions faz parte da série Arena, de 1975, que entrevistava vários artistas de vários ramos. Não tão particular quanto Crumb, mas altamente válido.

 

4 – Frazetta: Painting With Fire

Registro bastante valioso sobre o maravilhoso Frazetta, artista que chegou a influenciar até o mundo dos videogames.

 

5 – Jack Kirby Documentary

Documentário conduzido pelo Mark Evanier, autor e amigo pessoal do maior rei dos quadrinhos.

 

6 – Turtle Power

A história da criação e subsequente sucesso do melhor grupo de adolescentes heróis já criados (abstraia os filmes novos, por favor).

 

7 – Alan Moore

O fantástico Alan Moore tem dois docs que valem muito ser conferidos: The Mindscape of Alan Moore e Monsters, Maniacs and Moore. Fuça lá.

 

8 – Talking With Gods

Documentário sobre o genial Grant Morrison.

 

9 – Captured Ghosts

Do mesmo pessoal que fez o Talking With Gods, este é sobre o maneiríssimo Warren Ellis.

 

10 – Sex In Comics

A supimpa Molly Crabapple apresenta um doc que analisa o erotismo nos paneizinhos.

 

11 – In Search of Moebius

Moebius… preciso dizer mais nada.

 

12 – Quadrinhos para Barbados

Ótima, mas ótima mesmo, série de entrevistas com autores nacionais.

 

Tem muito mais docs legais, viu? Sobre o Steve Rude, Will Eisner, gibis em geral, super-heróis, séries de entrevistas com autores nacionais, como o Projeto HQ, etc. Mas 12 filmes já tá bom pra começar. Agora eu vou trabalhar, tchau.