[De A a Z] GO, de Cecília Silveira

Bora falar de zine? De zinão, tiragem pequena, em risografia, aquelas preciosidades que a gente encontra de vez em quando nas feiras?

go-cecilia

GO, de Cecília Silveira (VEJA MAIS AQUI), é um baita exemplo desses zines que, além de nos causar  prazer estético, também nos deixa um gosto de amargo pós-leitura (algo que considero bem importante).

go-2

GO, segundo a autora, “fala sobre como seguir adiante. Facto e ficção se misturam na experiência de imigração de uma refugiada do Sudão que tem de enfrentar quotidianamente a memória traumática da travessia clandestina para chegar à Europa.” Em vinte páginas, Cecília conseguiu tratar um tema cuja discussão é essencial sem que a exploração do quadrinho enquanto mídia fosse prejudicada. Um momento simples como um salto à piscina é transformado, por Cecília, em um mil-folhas – cheio de camadas de sentido, de simplicidade completamente ilusória. Vale a pena dar uma mordida.

go-3

A representação das ondas na água, em GO, de traço livre e pinceladas bruscas,  faz-me pensar nos grafismos árabes (também passa uma vibe meio Habibi, do Craig Thompson) que brincam entre o limite da imagem e do texto — texto que, no zine, se limita a representar o que já é tido como inevitável: “Are you ok? — Yes, I am” — o único diálogo em todo o zine, somado às onomatopeias da água calma na piscina e assombrosa na passagem dos refugiados. O mínimo de texto presente passa a ideia de uma comunicação mínima — trabalha-se o processo de se comunicar o incomunicável, dar forma ao trauma, assim como Cecília dá materialidade à refugiada ao desenhar o seu documento de imigração no zine. Narrativas que transformam vivências traumáticas em materialidade visual, mesmo que ficcionais, são importantíssimas para o nosso processar de tais vivências – as nossas e as dos outros.

go-4

Ao colocar lado a lado as imagens de um possível mergulho na piscina e o atirar-se à incerteza de uma travessia, Cecília constrói uma relação visual interessante entre as noções de cheio e vazio (de gente e de água); serenidade e desespero; entre outros extremismos que caem por terra quando se trata de vivenciar e sobreviver ao trauma.

GO é uma das publicações de Cecília que, além de produzir quadrinhos, também tem um trabalho incrível com a Sapata Press, publicando mulheres e pessoas não binárias. GO está em sua terceira edição e se encontra à venda online pelo email da Sapata Press: sapatapress@gmail.com

 

E o que você acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Vitralizado

Conteúdo aleatório justaposto em sequência deliberada

Vida Offline

Auto ficção

OutraCozinha

Comida é só uma desculpa pra falar do que nos mantém vivos

MONOTIPIA | MAG

Monotipia | revista digital

turgescência

maíra mendes galvão

MAKE MATTERS WORSE

How to improve the world

palavrasecoisas.wordpress.com/

Comunicação, Subculturas. Redes Sociais. Música Digital. Sci-fi

Blog da Itiban

alimente-se

Liberpaz's Blog

Just another WordPress.com weblog

comic books from brazil

comic books from brazil

Lugar Certo

Tudo está no lugar certo

balbúrdia

Falamos de quadrinhos na maciota

forumsocialurbano.wordpress.com/

De 22 a 26 de março de 2010

%d blogueiros gostam disto: