[Vem comigo] Sangre di mi sangre

Tem uma cena de Sangre di mi sangre (Astiberri, 2012) que  me vem sempre à cabeça quando quero pensar na poética específica dos quadrinhos. A cena é uma casa de vários andares e janelas grandes, alguém bate à porta. O diálogo entre a mãe de uma das crianças com a pequena visita é observado por outra criança, … Continue lendo [Vem comigo] Sangre di mi sangre