[Videoshow] Minhas traduções em 2019

O Érico Assis lembrou de postar os livros massa que ele traduziu e não vai poder votar nos melhores do ano. Como sou copiona, vai aqui a minha lista de traduções que VOCÊ poderá escolher como melhor do ano! TANKA, de Sergio Toppi. Editora Figura. A Figura vem se esmerado em trazer os maiores ilustradoresContinuar lendo “[Videoshow] Minhas traduções em 2019”

[Videoshow] Querido diário

Querido diário. Saudades de escrever para o Balbúrdia. Um ano complicado, cheio de golpes, um atrás do outro – e muito trabalho legal, também. Até jurada do Jabuti eu fui esse ano! Mas mesmo se não tenho dado tanto as caras por aqui, ando conduzindo grupo de pesquisa em torno da tradução, das oficinas deContinuar lendo “[Videoshow] Querido diário”

[Tradução] Manifesto da Graphic Novel (revisado), de Eddie Campbell

Tenho estudado teorias de quadrinho e durante a leitura do A Novela Gráfica, de Santiago García (Martins Fontes, 2012, tradução de Magda Lopes), logo no comecinho, é citado o “Eddie Campbell’s (Revised) Graphic Novel Manifesto”, do homem que desenhou entre trocentas coisas, Do Inferno, escrito por Alan Moore (Veneta, 2014, tradução de João Paulo Martins).Continuar lendo “[Tradução] Manifesto da Graphic Novel (revisado), de Eddie Campbell”

[Bartheman] Waldo e seus precursores

Tem um tempinho, Lielson Zeni e eu encontramos esse texto abaixo, sobre o personagem-chave de O bulevar dos sonhos partidos, tradução minha para a todavia, com preparação de texto do Lielson. Reencontrei agora, enquanto tentava arrumar as coisas para esquecer do mundo. Afinal, estamos no limiar da loucura…

[Bartheman] Tradução e a letra traduzida

O Paulo Cecconi escreveu sobre seus trabalhos de tradução e fiquei pilhada. Afinal, foi a tradução de histórias em quadrinhos que me fez pensar mais sobre seu estilo, sua forma… foi traduzindo e pensando essa tradução que fui desenvolver pesquisa, e até escrever neste querido blog.