[Vá com o Carmo] “Incidentes da Noite”: Uma leitura de outra ordem

Em INCIDENTES DA NOITE, de David B. (Veneta, 2021, tradução de Maria Clara Carneiro) o leitor é convidado a flanar por Paris na companhia do alter ego de seu autor em uma aventura livresca que vai de Jorge Luis Borges à Arturo Pérez-Reverte, autor de O Clube Dumas, imortalizado no cinema por Roman Polanski noContinuar lendo “[Vá com o Carmo] “Incidentes da Noite”: Uma leitura de outra ordem”

[Vá com o Carmo] Alberto Breccia, Alfred Hitchcock e a poética do feio na HQ “Buscavidas”

Em BUSCAVIDAS de Carlos Trillo e Alberto Breccia (Comix Zone, 2020, tradução de Jana Bianchi) o leitor acompanha as peregrinações de um muito excêntrico colecionador em busca de… histórias! Seu protagonista/narrador pode não ter nome, mas muito se assemelha a efígie icônica de Alfred Hitchcock e não por acaso, a estrutura episódica das histórias escritasContinuar lendo “[Vá com o Carmo] Alberto Breccia, Alfred Hitchcock e a poética do feio na HQ “Buscavidas””

[Vá com o Carmo] Existe uma vanguarda dos quadrinhos ou quadrinhos de vanguarda?

A partir de um contexto histórico-político-social conturbado, despontam na Europa do início do século XX tendências artística que colocavam em xeque as convenções de representação que já vinham perdendo espaço desde o final do século anterior. As assim chamadas correntes de vanguarda punham em marcha práticas artísticas inovadoras, radicalizando com as formas de representação doContinuar lendo “[Vá com o Carmo] Existe uma vanguarda dos quadrinhos ou quadrinhos de vanguarda?”