[Teteia Pura] Bora recolher os Grampos

Mais um ano, mais um Grampo, mais dor de cabeça pra hierarquizar os gibis, mas lágrima ferventes de arrependimento meses depois escorrendo da vontade de ter colocado alguns em outras posições. Vamos a mais um texto da (minha) lista do (nosso) prêmio.

[Videoshow] Mesa de dissecação: Marcelo D’Salete

Passada rápida só pra comentar que pretendo relatar todos os eventos em que estivemos nos últimos dias (a saber: Mesa de Dissecação: Wagner Willian, des.gráfica, Miolo(s) e este que vou falar mas meio que já tô). Claro, cá estando já jabazeio que hoje Ramon Vitral e eu conversaremos com Marcelo D’Salete sobre Angola Janga naContinuar lendo “[Videoshow] Mesa de dissecação: Marcelo D’Salete”

[Bartheman] Corpos inviáveis

Jeanine está sendo entrevistada por um rapazote, o Matthias Picard. A um determinado momento, ela percebe rabiscos no caderno dele, a quem ela confiava a sua história: – Você está desenhando quem? – Seu pai. – Mas… você não sabe como ele se parece. – Não, eu imagino. – Ele era italiano, o meu pai…

[Cuba Liber] Grampo 2017 por Liber Paz

Eu desconfio de listas, prêmios ou rankings. Não tenho certeza se realmente servem pra alguma coisa, além de mexer com egos. Afinal, quando dizemos que fulano ou beltrana é o ou a “melhor” do ano,  sempre cabe perguntar: melhor pra quem? Por quê? Quais os critérios? Quais as intenções em escolher um melhor?

[Se liga] Hinário Nacional

Em 2014, Marcello Quintanilha lançou Tungstênio e todo mundo ficou de cara com a inteligência do camarada sobre o meio história em quadrinhos. O entendimento dele sobre compressão/descompressão de tempo narrado era pra se estudar com cuidado. Em 2015, ele me sai com Talco de vidro e consegue, mais uma vez, mostrar que ainda temContinuar lendo “[Se liga] Hinário Nacional”