Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs: O resultado final

O quadrinista Marcelo D’Salete é o vencedor do Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs. O álbum Angola Janga – Uma História de Palmares (Veneta) consta em 18 das 20 listas de eleitores convidados do Grampo, tendo acumulado 158 pontos na contagem dos votos. O gibi vencedor ficou à frente de Aqui (Cia das Letras), de Richard McGuire (106 pontos e presente em 13 listas) e Mensur (Cia das Letras), de Rafael Coutinho (83 pontos e presença em 11 listas).

O Top 10 do Grampo 2018 fecha com Paciência (Nemo), de Daniel Clowes (75 pontos); Sem Dó (todavia), de Luli Penna (59 pontos); Estudante de Medicina (Veneta), de Cynthia B. (37 pontos); O Homem que Passeia (Devir), de Jiro Taniguchi (32 pontos); Alho Poró (La Gougotte), de Bianca Pinheiro (28 pontos); Úlcera Vórtex (Escória Comix), de Victor Bello (24 pontos); e, empatados em 10º, com 23 pontos, Akira – Volume 1 (JBC), de Katsuhiro Otomo; Black Hole (DarkSide Books), de Charles Burns; e Boxe (La Gougotte), por Alexandre S. Lourenço.

Continue lendo “Prêmio Grampo 2018 de Grandes HQs: O resultado final”

[1, 2, 3… já!] Listas!

CLBD10[1]

Oficina virtual de quadrinhos potenciais

Coluna para difundir e motivar atividades Oulipo-oubapianas, em que todos possam participar enviando suas produções a partir das proposições.

Eu disse, na última coluna, que não paro de falar em Gerner. VENHA ME CALAR! Então, outra técnica que ele usa muito – e é queridíssima pelos oulipianos – é a confecção de listas.

Continue lendo “[1, 2, 3… já!] Listas!”

[Vem Comigo] Peur(s) du noir

peursdunoir_poster

Gentem, passando só pra deixar uma dica de firmer. Não é novidade/lançamento, mas não vi essa teteia comentada por aí, então, achei justo um toque.

Continue lendo “[Vem Comigo] Peur(s) du noir”

[Bartheman] Da solidariedade icônica

julie doucet wordy

Julie Doucet, autora canadense da geração de Seth, Chester Brown, Adrian Tomine, tem um trabalho interessantíssimo. Não é só sobre ela que vou escrever aqui, mas gostaria de partir dessa página acima para divagar um pouco sobre quadrinhos.

Continue lendo “[Bartheman] Da solidariedade icônica”