[Bartheman] Waldo e seus precursores

Tem um tempinho, Lielson Zeni e eu encontramos esse texto abaixo, sobre o personagem-chave de O bulevar dos sonhos partidos, tradução minha para a todavia, com preparação de texto do Lielson. Reencontrei agora, enquanto tentava arrumar as coisas para esquecer do mundo. Afinal, estamos no limiar da loucura…

[Bartheman] Vamos ter que falar da Mônica

O bom desse blog é a gente se ater a críticas sobre o que se gosta: pra mim, os quadrinhos que tomam de assalto o discurso dominante e subvertem as coisas, fazem a gente imaginar um mundo esteticamente mais complexo. Mas aí aparecem alguns assuntos que, para além dos limites do atual, requerem uma perspectivaContinuar lendo “[Bartheman] Vamos ter que falar da Mônica”

[Teteia Pura] Bora recolher os Grampos

Mais um ano, mais um Grampo, mais dor de cabeça pra hierarquizar os gibis, mas lágrima ferventes de arrependimento meses depois escorrendo da vontade de ter colocado alguns em outras posições. Vamos a mais um texto da (minha) lista do (nosso) prêmio.

[Kitinete HQ] Bulevar dos sonhos partidos

Liber e Scama comentam sobre Bulevar dos sonhos partidos (todavia, 2017), de Kim Deitch. Dá o play! (Vale avisar que balbúrderes trabalharam nesse livro: Maria Clara Carneiro traduziu e Lielson Zeni fez a preparação do original) (Vale avisar também que Maria Clara já escreveu sobre outro trabalho do Deitch aqui no Balbúrdia)

[Kitinete HQ] Melhores leituras de agosto

Scama e Liber comentam quais foram suas leituras favoritas do mês de agosto. Scama ainda comenta sobre o Jornada Internacional de Histórias em Quadrinhos que aconteceu em São Paulo. Vai no vídeo: Dois dos livros citados já foram comentados aqui no Balbúrdia: Uma vida Chinesa e Stray Toasters.